quarta-feira, 30 de julho de 2008

sexta-feira, 25 de julho de 2008

PEÇO LICENÇA E CONVIDADOS NA LADEIRA!



Estaremos às sextas de agosto no Bar da Ladeira, sempre com um convidado especial. A abertura fica por conta do trio de choro 'Goiaba':




IVAN MILANEZ (01/08)



LUIZ CARLOS DA VILA (08/08)



WALTER ALFAIATE (15/08)



WILSON MOREIRA (22/08)



WANDERLEY MONTEIRO (29/08)



O Bar da Ladeira fica na rua Evaristo da Veiga, 149, Lapa/RJ (em frente aos Arcos e ao lado do 'Semente'). A partir das 22h. Ingressos R$10 (ATÉ 22H, APÓS R$14). Informações e reservas: (21)2224-9828

sexta-feira, 18 de julho de 2008

BEN BON NA FESTA BLAX! (17/09)







No sabado 19 de julho, a BLAX faz uma festa especial no Cinematheque (rua Voluntarios da Patria, 53 - perto do metro de Botafogo). Os DJs Ze Octavio, Paulo Futura e Preto Serra recebem a banda BEN BON, especializada nos grooves do mestre Jorge Ben, e fazem sets especiais incluindo muito soul/funk/disco/rhythm´n´blues nacional.



Nomes classicos como Tim Maia, Gerson King Combo, Uniao Black, Toni Tornado, Toni Bizarro, Som Nosso, Lady Zu, Os Incriveis e novos como B Negao, Supergroove e Sinho Preto Velho sao presença certa no maior baile black da Zona Sul.



No telao, alem dos classicos do cinema blaxploitation, programas de tv funky e fotos de frequentadores da BLAX, imagens raras de Jorge Ben e Tim Maia.



Para entrar na lista amiga (R$12 ate a meia-noite e R$15 apos), e so mandar seu nome completo para festablax@gmail.com ate as 18h do dia da festa.

MAIS VÍDEOS NO GOOGLE!





Joguei mais dois filmes do Peço Licença no You Tube!













terça-feira, 15 de julho de 2008

Dirigir após beber não é grave para muita gente


Estudo com 5 mil motoristas mostra que para 41% deles o álcool não os impede de guiar um carro. E 4,4% acham que conduzem até melhor



Madalena Romeo




Rio - Quase metade dos motoristas não vê problema em dirigir após ingerir bebidas alcoólicas. Na contramão do que prega a Lei Seca, em vigor há quase um mês, pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em cinco cidades revelou que, para 41% dos entrevistados, o álcool não os impede de dirigir. O estudo ainda registra que 19,4% acreditam que a bebida não atrapalha o desempenho ao volante e 4,4% acham até que dirigem melhor após beber.



O levantamento foi feito com 5.250 motoristas que se submeteram ao teste do bafômetro antes de a nova lei ser sancionada. Foram reprovados no teste 31% dos condutores: 19,3% com mais de 6 dg de álcool por litro de sangue e 11,8% entre 2 dg/l a 6 dg/l.



Os principais artifícios adotados para dirigir supostamente “com segurança” após beber são: reduzir a velocidade, adotado por 17% dos entrevistados, esperar um tempo (9,4%) e tomar café (4,3%). De acordo com Sérgio Duailibi, um dos coordenadores da pesquisa, não há níveis seguros de álcool para quem dirige. Ele ressalta que os efeitos são mais intensos quanto menor for a tolerância da pessoa. “Em adultos jovens, o risco de acidentes aumenta após a primeira dose, dobra após a segunda e se multiplica por 10 após a quinta dose”, afirma Duailibi. A pesquisa foi feita em São Paulo, Diadema (SP), Santos (SP), Belo Horizonte e Vitória, entre janeiro de 2005 e dezembro do ano passado.



Antes da nova legislação, o músico Yuri Rodrigo Portella Bastos, 27 anos, costumava sair da Lapa após beber e ir para casa em Niterói dirigindo o seu carro. “Tomava a saideira e pegava direto o carro. Dirigia no máximo a 60 km/h na Ponte e acreditava que estava seguro”, conta. Após a nova lei, ele garante que aderiu à água mineral e só toma cerveja quando a esposa o acompanha sem beber para dirigir.



O companheiro de rodas de samba Domingos José da Silva, 37, que sempre pega carona com Yuri e não bebe, também nunca levou o carro mesmo estando mais sóbrio do que o amigo. “Yuri sempre bebeu, mas nunca pegou o carro fora de si. De qualquer forma, agora que não bebe me sinto mais seguro”, diz.



Além das imprudências ao volante, a pesquisa revela um ponto positivo: 70% dos motoristas são a favor de políticas preventivas como a nova legislação que inclui o teste do bafômetro. Apenas 15,8% disseram não apoiar o uso do aparelho nas blitzes.



AGENTE SÓ ‘FLAGRARIA’ UM TERÇO



Apesar de terem sido treinados para identificar motoristas alcoolizados, os pesquisadores não encontraram sinais de intoxicação na maioria dos casos em que, depois, o teste do bafômetro registrou teor de álcool no organismo. Eles acharam sinais óbvios de embriaguez em apenas 29,7% dos motoristas com mais de 6 dg/l no teste do bafômetro.



O psiquiatra Ronaldo Laranjeira, que também coordenou a pesquisa, lembra que o uso do bafômetro é, segundo a Organização Mundial de Saúde, uma das medidas mais eficazes para reduzir o número de acidentes fatais no trânsito relacionados ao consumo de álcool.


Em balanço preliminar feito pelo Ministério da Saúde, divulgado ontem, o número de atendimentos do Serviço de Atendimento móvel de Urgência (Samu) caiu em média 24%. A maior redução no número de resgates (47%) ocorreu em Niterói.




Fonte: JORNAL O DIA



segunda-feira, 14 de julho de 2008

AMANHÃ PEÇO LICENÇA EM 'O DIA'



O percussionista Yuri Portella será personagem de uma matéria da repórter Madalena Romeo, sobre a 'Lei Seca', no jornal O DIA. Não percam!

PEÇO NO ODISSÉIA (12/07)